FORMALIDADES PARA O VISITANTE

Um cidadão de qualquer nacionalidade que pretenda visitar São Tomé e Prín-cipe deverá obter um Visto no Consulado de São Tomé e Príncipe, no local de partida.

Caso não exista consulado pode requerer uma Autorização de Entrada junto do SMF (Serviço de Migração e Fronteira) através do email secretaria@smf.st (sete dias úteis para obtenção de resposta).

De acordo com o Despacho Conjunto nº 1 D.R. nº 117, de Outubro de 2011, o preço do Visto de Entrada em São Tomé e Príncipe é de 490 000 STD (Dobras de São Tomé e Príncipe, cerca de 20 euros). As crianças pagam metade. Todo o pagamento feito na Fronteira deverá ter um comprovativo.

Na fronteira o visitante deve apresentar prova de que possui bilhete de ida e volta e comprovar uma quantia de subsistência de 100 euros diários.

SUGESTÕES AO VISITANTE

Para a conservação do ecossistema existente no arquipélago todos os utilizadores deste património devem contribuir de forma racional para que as futuras gerações também venham a beneficiar dele. Sugere-se, pois, que:

Não deixe nas praias os restos dos produtos utilizados como garrafas, latas e outros detritos do mesmo tipo. Junte tudo num saco e coloque-o no contentor de lixo ou enterre-os;

praia macaco

Não compre as aves, sobretudo papagaios, que habitantes das ilhas possam tentar comercializar; Não compre os objetos artesanais produzidos a partir de carcaças das tartarugas;

Em vez de distribuir doces e brinquedos às crianças nas comunidades, faça doações colectivas, aproximando-se das escolas, creches e associações de moradores;

Respeite as tradições do povo são-tomense;

Privilegie os produtos e serviços locais; o artesanato são-tomense é rico e diversificado, vá ao encontro dos artesãos e artistas.

Tome as precauções próprias de uma viagem para um clima diferente daquele a que está habituado. A proteção da cabeça é recomendável, tal como o protetor solar. Os repelentes devem fazer parte da bagagem, sobretudo se pretender deslocar-se a regiões do interior das ilhas, onde a vegetação é mais intensa. Não esqueça os medicamentos pessoais de uso comum.

papagaio

HORA E HORÁRIOS

A hora oficial de São Tomé e Príncipe é TMG, coincidente com a de Portugal Continental.

Os serviços funcionam de segunda-feira a sexta-feira das 8 às 12 e 30 e das 15 às 17 e 30; e aos sábados das 8 às 13. O sector público funciona de segunda-feira a sexta-feira das 7 às 15 e 30. Encerra aos sábados e domingos.

MOEDA

São Tomé e Príncipe tem desde 1977 a Dobra como moeda nacional, com a abreviatura STD. Existem notas entre 5 000 e 100 000 Dobras, com valores intermédios de 10 000, 20 000 e 50 000.

Segundo o último acordo de paridade cambial entre São Tomé e Príncipe e a União Europeia, através de Portugal, 1 Euro equivale a 24 500 Dobras.

COMUNICAÇÕES

São Tomé e Príncipe dispõe de uma tecnologia atualizada para assegurar comunicações internacionais via satéli-te. Chamadas internacionais podem ser feitas em todos os hotéis e resorts, os cartões de cabinas de telefone e as recargas de telemóveis podem ser adquiridos na loja da companhia são-tomense de telecomunicações CST.

A rede de internet é acessível designadamente nos hotéis e em diversos pontos nas cidades. O indicativo tele-fónico é 239.

O sistema eléctrico é de 220 Volts, sendo as tomadas do tipo das utilizadas na Europa.

LIGAÇÕES AÉREAS

A TAP – Air Portugal tem três ligações semanais entre Lisboa e São Tomé e Príncipe, às terças, quintas e sábados. Os voos de regresso são igualmente às terças, quintas e sábados. As viagens têm uma duração média de seis horas.

A STP Airways, companhia nacional são-tomense, voa às sextas-feiras entre Lisboa e São Tomé e efetua o percurso inverso aos sábados.

A STP-Airways efetua quatro ligações semanais com o Príncipe, com duração de 50 minutos.

São Tomé tem ligações aéreas com Luanda, Angola – duração de uma hora e meia – Libreville, Gabão – uma hora – e Malabo, Guiné Equatorial, através da STP-Airways.

AGÊNCIAS DE VIAGENS

O turismo, também nas suas variantes de descoberta e eco-turismo, é uma das grandes apostas económicas de São Tomé e Príncipe. Atualmente estão disponíveis diversificados pacotes de viagens em várias agências de viagens, de que se deixam alguns exemplos.

ALOJAMENTO

Entre resorts de luxo, hotéis para bolsas muito diversificadas, pensões, bungalows e instalações de turismo rural, designadamente em roças restauradas, São Tomé e Príncipe começa a ter uma oferta de alojamento assinalável e de qualidade para os visitantes, sejam quais forem as suas preferências e os meios disponíveis.

Muitos dos pacotes de viagens citados incluem alojamento em diversos tipos de regimes, mas o viajante pode pretender fazer as suas próprias escolhas prévias ou in loco.

APONTAMENTOS CULTURAIS

A cultura são-tomense é rica, variada, pujante. Reúne elementos oriundos das origens dos muitos povos cuja mescla ao longo de mais de cinco séculos deu forma a expressões genuínas, únicas nos campos da arte popular, da literatura, pintura, música, escultura, artesanato, escrita.

artesanato

Povos que chegaram de Cabo Verde, de Angola, Moçambique, de regiões ribeirinhas do Golfo da Guiné, do Brasil, de Portugal mas também de Castela, uns para serem senhores, outros para serem escravos e que acabaram, em conjunto, por talhar um país que é hoje São Tomé e Príncipe, único, personalizado, olhando em frente com criatividade e confiança, uno na maneira como consegue aglutinar as suas diferenças. Tem um duro caminho pela frente para combater o analfabetismo, para realizar os anseios de toda a população, mas possui a essência colectiva para atingir esses objectivos sonhados por Alda Espírito Santo, escritora, primeira ministra da Educação e que teceu com o seu talento exemplos da teia cultural multiforme de São Tomé e Príncipe independente e soberano.

DANÇAS

A dança é uma das expressões culturais mais amadas pelo povo de São Tomé e Príncipe. As noites equatoriais, principalmente aos fins-de- semana, são marcadas pelas explosões dos ritmos africanos e dos corpos, seduzindo inapelavelmente os visitantes.

Dança

Os ritmos musicais e as danças de São Tomé e Príncipe refletem as múltiplas influências das várias origens africanas, e não só, do seu povo. Muito em voga nas discotecas continua a “kadance”, a par da tarraxinha, considerada específica do Arquipélago. Mas são muitos os outros ritmos que inundam a noite, noite tantas vezes universalizada pelo convívio com os viajantes, e que podem ser a puíta, o funaná, o kuduro, a kizomba, dombolô, kuassa-kuassa, reguê (reggae), pop e rap. Fora das discotecas conservam-se raízes culturais mais profundas, associadas a rituais de génese tribal como a usa, o socopé e a dança-congo, considerada a mais genuína e africana, dançada com emocionante envolvimento pelos Angolares.

AUTO DE FLORIPES

A ilha do Príncipe tem igualmente o seu auto inspirado na temática carolíngia e as lutas entre mouros e cristãos de que estes saem sempre vencedores: o Auto de Floripes, representado em 15 de Agosto, dia de São Lourenço. A declamação chega a prolongar-se por 12 horas ou mais e decorre em terreiro ao ar livre, interpretada igualmente por atores rigorosamente caracterizados.

O Auto de Floripes tem origem europeia, inserida no remoto espírito medieval do “maravilhoso carolíngio”, supondo-se que a versão são-tomense tenha sido inspirada nas representações em Trás-os-Montes e levada para o Príncipe no séc. XIX, já na época da cultura do cacau, portanto bastante mais tarde do que o seu congénere “Tchiloli” na ilha de São Tomé.